Notícias
 
Economia
 
27/07/2019
O frio que sempre é bem-vindo pelo comércio
 

Tanto no mercado formal como no informal, a demanda por produtos tem sido grande, em vários casos, maior em comparação com o mesmo período do ano passado

Pedro Augusto

Quem esperava que a época mais fria do ano pudesse congelar as vendas do comércio de Caruaru, após o boom do São João, se enganou redondamente. Durante o inverno de 2019, alguns segmentos do varejo local não estão tendo do que reclamar no que diz respeito a faturamentos obtidos. Tanto no mercado formal como no informal, a demanda por produtos direcionados para a época tem sido grande, em vários casos, maior em comparação com o mesmo período do ano passado. Em circulação na manhã da última quarta-feira (24), pela Rua 15 de Novembro, no Centro, a reportagem VANGUARDA esteve entrevistando comerciantes a respeito da lucratividade propiciada pela estação.

Em sua maioria, eles se mostraram satisfeitos com as vendas, até agora, registradas. A gerente da Benjamin Empório, Gisele Alves, por exemplo, se disse surpresa com a grande procura por vestuários voltados para conter o frio. "Tradicionalmente, sempre há uma demanda significativa nesta época por agasalhos, casacos, jaquetas, moletons, dentre outros produtos do tipo, mas, em 2019, a procura, para a nossa surpresa e satisfação, se encontra ainda maior. Isso porque o inverno está mais castigante em relação aos anos anteriores. Para se ter ideia, muitos clientes já têm saído da loja com os artigos nos corpos tamanho frio, que está fazendo em Caruaru e na região", justificou.

Outra empresa do mercado formal que está faturando alto no período de temperaturas baixas é a Chapelaria Brasil. Especializada na comercialização de itens como chapéus, gorros, cachecóis, além de guarda-chuvas e sombrinhas, a loja, de acordo com a proprietária Joana Ribeiro, encontra-se com desempenho de vendas semelhante ao de um fim de ano. "Realmente a procura por esses produtos tem sido muito elevada. Estamos vendendo bastante! Até porque, além da demanda natural por parte dos consumidores que necessitam circular pela cidade para trabalhar, estudar, enfim, ainda neste período de frio, vem ocorrendo vários eventos importantes na região, a exemplo do Festival de Inverno de Garanhuns, que vem estimulando de forma maciça as nossas vendas", afirmou.

No mercado informal, também há quem esteja enchendo os bolsos com a caída elevada de chuvas no céu da Capital do Agreste. O ambulante Roberto da Silva, que comercializa artigos numa das calçadas da 15 de Novembro, afirmou estar vendendo cerca de 40 guarda-chuvas por dia neste período de inverno. "Desde a época do São João que a procura tem sido muito intensa. Tanto é que precisei aumentar o meu estoque para não ser superado pela concorrência. Espero que chova ainda bastante para comercializar ainda mais", disse, aos risos, Roberto.

De acordo com o levantamento da Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac), neste mês, a temperatura mínima estimada para Caruaru vem girando na casa dos 18º a 16º com máxima correspondente a 22º a 24º. Com tanto frio ainda pela frente, o recepcionista Jeferson da Silva não perdeu tempo e aproveitou a folga do trabalho para renovar o estoque de vestuários. "Comprei três calças moletom e um casaco, porque o inverno está demais e já estava na hora de renovar o estoque. Fazia tempo que não sentia tanto frio como agora em Caruaru", comentou.

 

 
 
 
 
publicidade