Notícias
 
Cidade
 
27/07/2019
Viva Vitalino lembra os 110 anos de nascimento do Mestre do Barro
 

O evento acontece neste fim de semana e presta homenagem a Severino Vitalino

O público que curte e valoriza a cultura local tem um programa imperdível, é a 6ª edição do "Viva Vitalino", projeto criado para manter viva a arte deixada pelo Mestre Vitalino, que, se vivo estivesse, teria completado 110 anos no dia 10 de julho. O evento teve início na última sexta-feira (26) e segue até este domingo (28), no Alto do Moura, em Caruaru, e prestará homenagem ao filho do mestre, o artesão Severino Vitalino, falecido no início deste ano e que era reconhecido como o último discípulo do pai famoso no Brasil e no exterior.

A iniciativa do "Viva Vitalino" é dos produtores culturais Antonio Preggo e Yone Amorim, a parceria é da Prefeitura de Caruaru, através da Fundação de Cultura e Turismo (FCTC), e conta com o apoio da Associação dos Artesãos e Moradores do Alto do Moura (Abamam) e da Pastoral da Cultura. A programação consta de exposição de peças em barro produzidas pela família Vitalino, em homenagem a Severino Vitalino; celebração de missa, exibição do filme ‘A Peleja do Bumba Meu Boi Contra o Vampiro do Meio Dia', que está completando 35 anos; exibição do documentário ‘Um dia com Severino Vitalino'; e cortejo, o ponto alto do evento.

De acordo com Antonio Preggo, o "Viva Vitalino" não teria um melhor nome para homenagear do que o de Severino Vitalino. "Essa será a primeira vez que faremos o evento sem a presença dele, sem a força e o incentivo que ele nos dava. Desde o início, há seis anos, ele foi uma figura primordial para o sucesso do projeto. Mas tenho certeza que, com o apoio da família e da comunidade local, o nosso esforço não será em vão", disse Preggo, ainda comovido com ausência do amigo Severino Vitalino.

No primeiro dia foi celebrada missa na paróquia local. Neste sábado (26), às 19h, na Abmam, acontecem a abertura da Exposição Peças Família Vitalino e a exibição do filme ‘A Peleja do Bumba Meu Boi Contra o Vampiro do Meio Dia'. No domingo será a apoteose do Viva Vitalino, com a realização do cortejo, que terá concentração às 14h, também na associação, de onde sairá em desfile pelas ladeiras do bairro.

Participarão várias manifestações culturais, a exemplo da Banda de Pífanos Dois Irmãos, Boi Tira Teima, Maracatu Flor do Barro, Mazurca, Afoxé Ilé Dandara, Bacamarteiros, Banda de Pífano da Apodec, Grupo de Pernas de Pau e o Museu dos Estandartes, com mais de 30 homenageados. O palco montado na Praça do Artesão receberá os shows de Walmir Silva, João do Pife e Valdir Santos, Som na Rural e Bira e o Bando.

De acordo com Yone Amorim, executar o projeto requer muito esforço, principalmente no que se refere a apoio financeiro. "No ano passado, tivemos a sorte de poder contar com recursos do Funcultura, o que não foi possível para esta edição. Felizmente o município foi sensível com a causa", comentou a produtora cultural, referindo-se à FCTC.

Para o presidente da autarquia, Rubens Júnior, a gestão atual tem um compromisso com a cultura produzida no Alto do Moura. "Estamos fazendo jus ao nome do Mestre Vitalino e, consequentemente, dos seus familiares e de todos os artesãos que não só sobrevivem da arte do barro, mas são agentes fundamentais para a continuidade da arte figurativa", ressaltou Rubens Junior.


HOMENAGEADOS

Além de Severino Vitalino, esta edição presta homenagens a mais 33 personalidades que deram a sua contribuição aos mais variados segmentos da cultura. São eles: o Mestre Vitalino, Nelson Barbalho, Mestre Manuel Galdino, Zé Elias, Manuel Eudócio, Zé Caboclo, Mestra Ernestina, Celestina Rodrigues, Mestre Gercino, Souza Pepeu, Carlos Sá, Nelson Barbalho, Tavares da Gaita, Wellington Branco, Argemiro Pascoal, Carlos Fernando, João Condé, Vital Santos, Mestre Manoel Inácio, Luísa Maciel, Erton Cabral, Nina Vitalino, Vó Lindaur, Maestro Camarão, Luiz Gonzaga, Jacinto Silva, Coronel Ludugero, Olegário Fernandes, Pissica, Dona Ermídia, Lauro da Mazurca, Antônia Biliu e Lídio Cavalcanti.

 

 
 
 
 
publicidade