Notícias
 
Política
 
24/11/2018
Daniel Finizola abre ‘prestação de contas’ ao eleitor
 

Wagner Gil

A partir desta semana, o Jornal VANGUARDA inicia uma série de entrevistas com os 22 vereadores e a vereadora Zezé Parteira (PV). O objetivo de nossa editoria é trazer os dois anos de atuação dos principais edis, analisar suas propostas e projetos de leis, bem como ouvir suas expectativas em relação ao restante do mandato.

As entrevistas acontecem no programa Jornal VANGUARDA, que vai ao ar diariamente pela Caruaru FM (104.9), das 7h às 8h. O primeiro sabatinado foi Daniel Finizola, do Partido dos Trabalhadores. Na oposição ao governo de Raquel Lyra (PSDB), ele falou da sua atuação e disse que a oposição iria se mobilizar no tempo certo para tentar espaço na eleição da Mesa Diretora, que vai escolher novos presidente, vices e secretários. Essa composição é fundamental para a reeleição dos edis e do Executivo, além, é claro, de tocar toda pauta nos dois últimos anos da gestão.

Daniel é professor, artista, agitador cultural e publicitário. Participou da gestão do prefeito José Queiroz (PDT), no grupo de petistas que dirigiu a Secretaria de Participação Social e a Secretaria da Mulher. Ele foi um dos idealizadores do Polo Azulão e do São João com Acessibilidade, este último virou referência no Brasil rendendo ao município o prêmio nacional de Direitos Humanos.

Na Câmara, o mandato se posiciona no campo da oposição, procurando reconhecer avanços na administração municipal, mas com críticas à gestão. Na tribuna, Daniel tem procurado debater tanto pautas locais, como questões nacionais que mexem diretamente com o cotidiano das pessoas. A Escola sem Partido (que ele é contra), a defesa do estado laico e o combate ao assédio moral na administração pública são algumas das pautas cujos pronunciamentos ganharam repercussão no país.

No âmbito municipal, Finizola tem priorizado o transporte público, sendo autor do requerimento que criou a Comissão Especial de Transporte de Público. Também trouxe temas como a requalificação do centro da cidade e a situação dos ambulantes, mobilidade, as dificuldades dos conjuntos residenciais do Minha Casa, Minha Vida, bem como pautas relacionadas a mototaxistas, políticas de diretos humanos e a defesa da valorização dos professores.

As questões de inclusão de pessoas com deficiência também permeiam o mandato, com diversos pedidos para intérprete de libras, tanto na Câmara como nos equipamentos da Prefeitura. Alguns projetos de leis que foram apresentados nesses dois anos de mandato e merecem destaque. Dentre os aprovados, o maior orgulho do vereador é a lei que estabelece o embarque e desembarque das mulheres dos ônibus após as 20h fora dos pontos, por ser uma demanda antiga dos movimentos feministas e se fazer necessária pelos altos índices de violência que atinge a classe.

Dentre os que tramitam na Câmara, ressaltam-se o projeto que quer proibir empresas envolvidas em corrupção de receber incentivos fiscais da Prefeitura e o que coíbe o uso de recurso público na contratação de bandas que incentivem violência ou desrespeito a mulheres, população negra ou a LGBTs.

Outra ação do mandato que merece destaque é o TCC Vivo, em que se recebem projetos de pesquisas das universidades buscando valorizar a produção acadêmica da cidade e identificar boas ideias que possam melhorar a vida dos caruaruenses.

 
 
 
 
publicidade