Notícias
 
Cidade
 
24/11/2018
A importância das doações permanentes
 

Vale relembrar que, no início deste mês, a unidade vinha armazenando volumes insignificantes de sangue, o que acabou provocando o cancelamento de alguns procedimentos

Pedro Augusto

A Semana Nacional do Doador de Sangue acontece, até este sábado (24), em todo o país, mobilizando hemocentros espalhados por todas as regiões. Em Caruaru, a unidade do Hemope não deixou o intervalo comemorativo passar em branco. Além de ter promovido evento na manhã da última sexta-feira (23), em sua sede que fica localizada no Bairro Maurício de Nassau, o serviço local também esteve recebendo a imprensa para reforçar a importância de se fidelizar as doações. De acordo com a captadora Maria Menezes, se as 50 mil pessoas que se encontram com os seus registros armazenados como doadores no sistema da unidade estivessem praticando o ato, ao menos duas vezes por ano, não estariam ocorrendo constantes quedas nos estoques de sangue, principalmente, no negativo.

Vale relembrar que no início deste mês, o Hemope de Caruaru, que atende a demanda de 32 municípios de Pernambuco, vinha armazenando volumes insignificantes de sangue – principalmente os dos tipos O negativo e A negativo -, o que acabou provocando o cancelamento de diversas cirurgias eletivas e demais procedimentos em algumas unidades hospitalares da região. Na ocasião, vários segmentos da sociedade se mobilizaram e conseguiram reforçar o estoque da unidade. Mas, embora a situação tenha melhorado um pouco, conforme ressaltou Menezes, é imprescindível que as doações ocorram de forma contínua.

"Quando a pessoa faz a doação, ela pode salvar até três vidas. Sendo assim, é necessário que as doações sejam feitas de forma permanente, haja vista que a demanda por todos os tipos têm aumentado bastante nas unidades hospitalares e precisamos estar abastecidos. O momento é de agradecer a todos pelo verdadeiro gesto de amor, que se corresponde à doação, mas também estamos aproveitando este intervalo de comemoração para reforçarmos ainda mais a importância de se tornar um doador voluntário, ou seja, aquele que se submete ao procedimento mais de uma vez por ano", acrescentou Maria Menezes.

Após os verdadeiros mutirões de doações, que acabaram sendo registrados no período crítico dos estoques, hoje o Hemope de Caruaru se encontra com os seus volumes equilibrados, porém a meta é jamais retroceder. "Graças a Deus, atualmente, temos até enviado sangue para outros hemocentros do Estado. Entretanto, sempre existem aqueles tipos que são necessários uma atenção maior, já que as suas ofertas costumam ser menores. Um exemplo disso é o A negativo. Aproveitamos o espaço para solicitar que as pessoas deste tipo sanguíneo compareçam até a nossa unidade e façam as suas doações. Em poucos minutos, eles acabam contribuindo para salvação de várias vidas!", reforçou a captadora.

Quem utilizou a manhã da última quarta-feira (21) para realizar o ato foi o técnico em refrigeração Gleibson Ferreira, de 24 anos. Doador pela segunda vez, ele se mostrou disposto a aumentar a frequência no Hemope de Caruaru. "Não custa nada doar sangue! É uma ação solidária que ajuda a muita gente e não causa qualquer prejuízo ao doador. Decidi me tornar, a partir de agora, um doador voluntário. Já vi vários familiares precisando de sangue para sobreviver e sei que no futuro também posso precisar. Quem ainda possui qualquer ressalva quanto a isso é interessante se informar ou vir até a unidade para conhecer os seus procedimentos", recomendou Gleibson.

Ainda na Sala de Doação, a reportagem VANGUARDA conversou com a estudante Jéssica Milena, de 20 anos. Engajada para doar sangue ao seu avô, ela também pretende praticar o ato de forma contínua. "Possuía certo medo em relação ao procedimento, mas não tenho mais. Pelo contrário. A cada três meses planejo retornar aqui para doar. O meu avô precisou hoje e os avós de muitas pessoas também podem precisar amanhã. Então, nada melhor do que sentir que está fazendo a sua parte!", comentou a jovem.

A unidade local funciona de segunda a sexta-feira, sempre das 7h até as 17h, na Avenida Oswaldo Cruz, s/nº, no Bairro Maurício de Nassau. Telefone: (81) 3719-9569. Confira abaixo as informações necessárias para se tornar um doador do Hemope de Caruaru.


Quem pode doar sangue?
– Homens e mulheres com idade entre os 16 e 69 anos.
– Para menores de 18 anos é necessária a presença e o consentimento do responsável legal, a cada doação.
– Pesar acima de 50 quilos.
– Ter boa saúde.


Para doar sangue é preciso:
– Apresentar documento oficial de identificação com fotografia.
– Não ter contraído hepatite, malária ou doença de chagas.
– Não possuir risco acrescido para doenças sexualmente transmissíveis como sífilis e Aids.


Para proteger a saúde e a do paciente é importante:
– Não ingerir bebida alcoólica nas últimas 12 horas antes da doação.
– Comparecer ao local da doação já alimentado evitando alimentos gordurosos.
– Obedecer ao intervalo de doação: 90 dias para mulheres.
– Não estar grávida ou amamentando
– Não estar fazendo uso de medicação controlada ou em tratamento médico.

 
 
 
 
publicidade