Notícias
 
Últimas
 
11/10/2018
Suspeito de estuprar menor retorna à PJPS
 

Policiais civis da 3ª Delegacia de Caruaru prenderam, no fim da tarde da última terça-feira (9), em Belém de Maria, na Zona da Mata do Estado, Renato Barbosa de Menezes Júnior, de 45 anos. Para quem não recorda mais deste nome, ele se refere ao taxista que é suspeito de ter estuprado um adolescente de 14 anos, no último mês de agosto, na cidade.

Preso logo após a suposta prática do crime, atualmente Renato encontrava-se em liberdade, haja vista que a Civil não havia obtido junto à Justiça a conversão da prisão temporária para preventiva, o que acabou beneficiando o suspeito. Solicitação esta que acabou sendo acatada, posteriormente, levando a polícia a dar cumprimento ao mandado de prisão preventiva do acusado. Encaminhado para a Capital do Agreste, Renato Júnior foi submetido a exame traumatológico no IML local e, em seguida, foi recolhido à Penitenciária Juiz Plácido de Souza.


RELEMBRE O CASO

Renato foi preso na manhã do último dia 31 de agosto, no Bairro Maurício de Nassau, em Caruaru. Na oportunidade, ele acabou sendo denunciado pela própria vítima. Esta última informou em depoimento que solicitou uma corrida e, já na saída do Bairro Vassoural, o suspeito desviou a rota para a BR-104, onde obrigou o adolescente a fazer sexo oral. A vítima foi deixada no Bairro Agamenon Magalhães.

O suspeito é natural de Palmares e atuava como motorista de Uber em Caruaru havia quatro meses. "O crime de estupro é muito difícil para as pessoas denunciarem, mas, pelo modo como ele agiu, com certeza aparecerão outras vítimas", disse, na época, o delegado Thiago Henrique.

Também na ocasião, o sistema Uber lamentou o suposto crime ressaltando que "nenhum comportamento dessa natureza é tolerado e o motorista foi banido da plataforma assim que a denúncia foi feita". Ainda na nota, a Uber destacou que "repudia qualquer tipo de assédio ou violência" e que "está sempre à disposição para colaborar com as autoridades no curso de investigações ou processos judiciais, nos termos da lei".

 

 
 
 
 
publicidade