Notícias
 
Últimas
 
22/09/2018
Um locatário teria matado, por enforcamento, um gato
 

Pedro Augusto

Moradores de um condomínio que fica no Bairro Universitário, em Caruaru, ainda estão chocados com o crime que teria ocorrido na noite do último sábado (15), nas próprias dependências do espaço. De acordo com os relatos dos populares, um locatário de um dos imóveis do complexo teria matado, por enforcamento, um dos gatos que circulava diariamente pelo local. O animal teria sido abandonado por uma antiga moradora e, desde então, passou a vagar em busca de alimento e abrigo.

De acordo ainda com as informações dos populares, na manhã do sábado, ao perceber que uma fêmea estaria no cio, o gato teria adentrado no imóvel, onde ela estava, em seguida, brigado. Presente, na tentativa de separar os animais, segundo ainda os denunciantes, a esposa do suposto criminoso, que estava com um filho no colo, teria se ferido, sendo socorrida pela vizinhança. Ao saber do ocorrido, também de acordo com os moradores, o locatário teria matado o felino com requintes de crueldade e também registrado, através do celular, a imagem do animal pendurado em uma corda.

A imagem viralizou nas redes sociais, sendo responsável por milhares de compartilhamentos e comentários de internautas revoltados com o suposto crime. Câmeras de videomonitoramento do condomínio também teriam captado, quando o locatário deixou o espaço levando na garupa da sua motocicleta o animal morto e pendurado.

Um morador, que preferiu não ter o nome revelado, se mostrou indignado com a suposta atitude perversa e desumana do suspeito. "Não tem como se provar, mas se foi mesmo o gato que feriu a sua esposa, porque ele não o colocou numa bolsa e o jogou, posteriormente, num terreno ou até mesmo na rua? Mas não! Preferiu cometer essa atrocidade com o animal ainda o expondo como se fosse um prêmio a ser comemorado. Isso não existe! Tem muita gente revoltada com o que aconteceu", disse. Um grupo de moradores procurou a Delegacia da Polícia, onde registrou boletim de ocorrência.

O acusado disse que agiu em defesa não só da esposa, mas de todos os moradores, visto que o animal aparentava está com raiva. Ele também criticou o condomínio por não tomar as medidas cabíveis ao ser informado por ele sobre o acontecimento.

 
 
 
 
publicidade