Notícias
 
Cidade
 
22/09/2018
Anac interdita aeroporto de Caruaru
 

Com a decisão, toda cadeia de confecção do Agreste perde bastante, além dos setores de turismo e hotelaria

Wagner Gil

Esta semana Caruaru teve uma péssima notícia com a interdição do Aeroporto Oscar Laranjeira pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). A decisão pegou empresários e políticos de surpresa, já que o Governo do Estado havia prometido – através do então secretário de Turismo, Felipe Carreras – reformar e entregar o equipamento totalmente pronto e em condições de receber voos comerciais diários.

A interdição do Aeroporto Oscar Laranjeira se deu através da portaria 2.881, de 13 de setembro de 2018. Diz o texto: "A gerente de controle e fiscalização substituta, no uso da atribuição que lhe confere no artigo 5º inciso X, da portaria 1.751-SAI, de seis de julho de 2015, e considerando o que consta no processo da Anac número 00065.048152-2018, resolve: artigo 1º; aplicar medida administrativa cautelar ao Aeródromo Oscar Laranjeira, localizado em Caruaru, Pernambuco. A medida cautelar refere-se à proibição de operações de pouso de aeronaves de asa fixa na pista de pouso e decolagem 13-31." Quem assina a portaria é Bárbara Carvalho de Azevedo, da Superintência de Padrões de Operações.

Sobre o assunto, a reportagem VANGUARDA ouviu diversos representantes de entidades, como CDL, Acic, Sindloja e Associação dos Sulanqueiros. O presidente da CDL, Adjar Soares, ressaltou a importância do aeroporto, mas preferiu não fazer críticas. "Acho que se a Anac interditou deve ter suas razões técnicas, mas não tenho conhecimento dos motivos", disse. "Realmente o prejuízo é enorme, não só para Caruaru, mas para toda a região. Como entidade, vamos nos mobilizar para tentar ajudar nessa questão", afirmou o presidente do Sindloja, Manoel Santos.

"Nós vamos reunir a diretoria e tomar uma posição em conjunto", disse o presidente da Associação dos Sulanqueiros, Pedro Moura. "Vamos conversar com outros diretores da Acic, com a prefeitura e com o Governo do Estado. Uma cidade da importância de Caruaru não pode ficar sem um aeroporto", disparou o presidente da Acic, Pedro Miranda.

A reportagem também entrevistou o secretário de Desenvolvimento Econômico e Economia Criativa do município, João Melo Neto. Ele explicou que, desde 2016, não existe convênio da PMC com o aeroporto e que, devido a isso, a administração é do Governo do Estado. "Em agosto de 2015, o contrato entre Governo do Estado e a PMC expirou e foi renovado por mais um ano, vencendo em setembro de 2016. Desde então, nós tentamos renovar esse contrato, mas sem sucesso."

O secretário informou ainda que, a cada três meses, a prefeitura envia relatórios para o Governo do Estado explicando a situação do equipamento. "Em um ano e oito meses, nós enviamos seis ofícios e não tivemos nenhuma resposta", disse. Segundo ele, esse relatório era produzido por uma empresa contratada para avaliar riscos nesse tipo de terminal.

"A questão é puramente política, até porque o então secretário estadual de Turismo, Felipe Carreras, afirmou que tinham planos para reformar o local'', disse. ‘‘Não podemos ficar sem esse equipamento fundamental para o desenvolvimento socioeconômico de Caruaru e região. Nossa meta é tentar reunir algumas entidades para fortalecer o movimento. Vou conversar com alguns presidentes e elaborar um documento mostrando a importância do aeroporto para a nossa cidade e o Agreste de forma geral. Vou falar também com o Governo do Estado. Não podemos deixar que nos tratem desta forma (politicagem). O então secretário Felipe Carreras chegou a publicar um vídeo nas redes sociais chamando a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, de mentirosa. Agora a verdade veio à tona", disparou o secretário de Desenvolvimento Econômico.

Alguns políticos também se posicionaram. "Isso é uma irresponsabilidade com Caruaru. O que o Governo do Estado está fazendo é uma perseguição política com a cidade. Temos que lutar pela liberação do equipamento e isso será uma das minhas prioridades caso assuma o Governo do Estado", disse Armando Monteiro.

"Não tenho muitas informações sobre essa interdição, mas uma cidade da importância de Caruaru não pode ter o seu aeroporto interdidato", afirmou. "Isso representa uma perda de empregos e oportunidades", completou.

O governador Paulo Câmara, durante debate na última terça-feira em Caruaru, disse que recebeu a informação da interdição e ficou surpreso. "Nós temos planos para reformar, ampliar e conseguir voos regulares. Foi uma surpresa. Vou me informar e depois vamos nos posicionar melhor."

O vereador Heleno Oscar lamentou. "Fiquei sabendo da interdição e só tenho a lamentar. Caruaru perde muito com isso. Vou tentar mobilizar alguns parlamentares e o presidente da Câmara, Lula Torres, para que o Poder Legislativo de Caruaru tome uma posição."

Nossa equipe de reportagem tentou falar com a Secretaria de Turismo, mas não obteve retorno. Um dos responsáveis pela comunicação do Palácio do Campo das Princesas, Gilberto Prazeres, nos indicou Marcelo Aragão, que não atendeu as nossas ligações.

 

 

 

 
 
 
 
publicidade